O que a Oposição pode oferecer à Paraíba?

Foi esta pergunta feita pelo autor do Blog aos líderes do PV e do PSDB, protagonistas da Oposição para eleição 2018, no encontro estadual do PV, neste sábado (21).

Eis as respostas:

“A grande obra é está cuidando das pessoas, com calor humano, afeto, diálogo e apresentando resultados. Não discutimos a obra pela obra. A obra pela obra não tem nenhum valor”, Luciano Cartaxo, prefeito de João Pessoa e presidente estadual do PV.

“O momento agora é de união e de construir alianças. O programa de governo será ouvindo a população. Vamos ouvir os técnicos, políticos, partido, importantes na democracia”, Lucélio Cartaxo (PV), pré-candidato ao governo.

“Cuidar das pessoas, zelar por elas, cuidar da segurança das pessoas. Cuidar da saúde, garantir emprego, respeitar quem produz e não cobrando tantos impostos como está acontecendo”, Cássio Cunha Lima (PSDB), senador.

Ainda que a eleição de 2018 na Paraíba caminhe para uma disputa nivelada por baixo, com pré-candidatos longe de um real convencimento para o eleitor, a Oposição é quem trabalha mais na margem do perigo.

Seja pelo parto para definição de um nome ou pela falta de um discurso seguro, com propostas reais para os paraibanos, além do limitado “vamos cuidar das pessoas”.

Não cola mais.

Apresentado oficialmente hoje como pré-candidato da aliança PV-PSDB, Lucélio Cartaxo (PV) não foi o plano A, B ou C do grupo. Antes dele, o próprio irmão e prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), e o deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB), tentaram a postulação sem sucesso.

Ex-superintendente da Companhia Docas da Paraíba e candidato derrotado ao Senado em 2014, com pouco mais de 500 mil votos, Lucélio terá que provar ao eleitor que pode ser mais do que somente irmão e conselheiro do prefeito da Capital.

Provar que pode fazer mais do que o governo atual.

A tarefa não é tão simples.

O governo PSB até adota posturas autoritárias e pisa na bola como criar uma Guarda Militar para ex-governadores, mas é inegável avanços importantes na infraestrutura básica, nas estradas de todo estado, na mobilidade urbana de João Pessoa, à investimentos na área hídrica, a exemplo da Transparaíba.

Além do Orçamento Democrático, instrumento de participação popular nas decisões relacionadas às obras do governo, e o Gira Mundo, oportunidade para alunos da rede pública realizar intercâmbio educacional e cultural.

Não resta dúvidas que o portfólio do governo é exitoso, em que pese o pré-candidato João Azevedo (PSB) também não carregue o protagonismo, papel que pertence ao governador Ricardo Coutinho.

Há discurso e acervo para apresentar.

E a Oposição, o que pode oferecer?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: