Lira engrossa rebelião contra Maranhão e deixa MDB

O senador Raimundo Lira será mais um a deixar o MDB. A informação é do jornalista Gerson Camarotti, do G1.

Raimundo Lira entregou o cargo de líder do MDB no Senado para engrossar o movimento contrário a pré-candidatura do senador José Maranhão ao Governo do Estado. Antes, os deputados André Amaral (agora do PROS) e Veneziano Vital do Rêgo (a caminho do Podemos) anunciaram suas saídas, o mesmo caminho a ser adotado oficialmente por Hugo Motta, que assumirá o PRB. O vice-prefeito de João Pessoa Manoel Júnior foi outro a deixar o MDB para seguir para o PSC.

De acordo com Camarotti, o presidente Michel Temer chegou a conversar pessoalmente com Lira, mas não conseguiu mudar a decisão do senador, que defendia uma aproximação do partido com o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV).

Pedro tempera “Plano P”

Quem parece está animado com o “Plano P”, nome dado pelo jornalista Heron Cid ao prévio projeto da candidatura do deputado Pedro Cunha Lima (PSDB) ao governo, é o próprio tucano.

Pedro anunciou a construção de sua candidatura a lideranças do PSDB nacional em um jantar antes do feriadão da Semana Santa.

O movimento conta com o apoio nacional do partido.

Ainda que publicamente evite falar sobre o assunto, fato é que Pedro começou a temperar o “Plano P”.

Partiu

O deputado federal Veneziano Vital do Rêgo protocolou seu pedido de desfiliação do MDB nesta segunda-feira (2). O destino do parlamentar deve ser o Podemos com quem já vem mantendo conversas com a Executiva Nacional.