Um País em chamas. Por Heron Cid

As consequências da greve dos caminhoneiros superam em muito os prejuízos de filas nos postos de gasolina e falta de mercadorias nas prateleiras.

Os cancelamentos de aulas nas escolas, a suspensão de cirurgias em hospitais públicos, as ruas e comércio esvaziados e a sensação de paralisia geral revelam mais.

O Brasil está em chamas. Manifestantes fazem barulho, mas o ambiente inflamável deu espaço para até vândalos aproveitarem para tocar fogo no terror.

Dentro dessas labaredas, joga-se de tudo. Gente desavisada e alheia ao movimento interrompe estradas, moradores fecharam ruas e todos colaboram de alguma forma para o caos generalizado.

Essa instabilidade não é de hoje, mas empurra muitos nesse movmento, uns por desinformação outros por uma nova expressão de anarquia, a defenderem a intervenção militar como saída.

Há um sentimento generalizado de incertezas poucos meses antes das eleições, mas esse quadro tosco não pode tirar do cidadão a convicção de que a urna é o único remédio legítimo contra o abismo a que afundamos.

Os fracassos e deslizes na nossa democracia não devem servir, jamais, para justificar atos de força, intolerância e usurpação do direito de escolha.

Pelo contrário, é o Estado Democrático de Direito o nosso maior bastião. Não fosse ele, em vez do ronco das ruas e das redes, as expressões máximas da liberdade de expressão, estaríamos anestesiados pelo falso silêncio como regra e a covardia como amiga.

Heron Cid

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: