Marcos Henriques não abre mão da herança de Luiz Couto

Além do deputado estadual Anísio Maia (PT), o vereador pessoense Marcos Henriques (PT) disputa a herança do deputado federal Luiz Couto (PT), que tentará o Senado Federal na chapa do PSB e não mais a Câmara Federal.

>> Anísio e a herança do padre Luiz Couto

Postulante à Câmara há mais tempo que Anísio, Marcus assegurou ao blog do jornalista Heron Cid que não abrirá mão de sua candidatura.

“Minha candidatura vem sendo construída há mais de um ano, é viável, tem capilaridade e esperava ter o apoio de todos e todas após a retirada de Luiz Couto”.

“Como Anastácio e Anísio estão se colocando eles têm todo o direito de serem candidatos, no entanto, minha candidatura está no patamar que não pode ser retirada por conta dos compromissos assumidos e dobradinhas. Isso faz com o que eu tenha essa responsabilidade de tocar esse projeto que não é pessoal, é coletivo. Essa é nossa posição”.

Anísio Maia e Marcos Henriques devem se reunir nesta quarta-feira para tratar do assunto. O deputado estadual Frei Anastácio também participará do encontro.

Com quem seguirá os fiéis do padre Luiz Couto?

Anísio e a herança de Luiz Couto

Entrevistado no Arapuan Verdade, da Arapuan FM, o deputado estadual Anísio Maia (PT) não escondeu a empolgação com o apoio do PSB da Paraíba a pré-candidatura fantasma do ex-presidente Lula e a vaga assegurada para Luiz Couto disputar o Senado na chapa encabeçada por João Azevedo (PSB).

>> PT vence queda de braço contra Ricardo

“Os petistas estão rindo à toa na Paraíba”, festejou.

Anísio ainda deu sinais que o entusiasmo ganhará um novo ingrediente: a herança do padre Luiz Couto para chegar à Câmara Federal.

PT vence queda de braço contra Ricardo

Não foi simples e nem poderia ser se tratando de Ricardo Coutinho, mas o PT alcançou o que tanta desejava do governador. O apoio do PSB paraibano a candidatura fantasma do ex-presidente Lula e o espaço na chapa encabeçada por João Azevedo (PSB).

Em resolução divulgada ontem à noite, o PSB se comprometeu a levar para direção nacional do partido, na convenção do próximo dia 5, a posição de apoio a Lula e ao PT.

Além disso, o Partido dos Trabalhadores ainda emplacará o deputado federal Luiz Couto como candidato ao Senado Federal. O lançamento da candidatura do padre acontece amanhã.

Nos últimos dias, a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, e Sérgio Gabrielli, coordenador da campanha de Lula, estiveram em João Pessoa para endossar o apelo ao socialista.

Ricardo Coutinho hesitou ao máximo em sinalizar positivamente para a causa petista. Fez questão de dizer que campo da esquerda não pertence exclusivamente a Lula, como prega os mais entusiasmados petistas. Aliados do governador também não fizeram questão de desdenhar da força dos comandos de Lula na Paraíba.

A prioridade era o PP, da família Ribeiro.

Não vingou.

Vale destacar a estratégia do presidente estadual do PT, Jackson Macedo, de criar temor na cúpula pessebista, com a possibilidade de adesão à pré-candidatura da vice-governadora Lígia Feliciano, do PDT, em caso de negativa de Coutinho.

Na queda de braço, o PT levou a melhor.

Lucas Salles: “Brasil precisa de líder com temor a Deus”

Cuidar da imagem de um candidato à Presidência da República do tipo “Ame ou odeie” é uma delicada missão, vamos combinar. Essa é a tarefa do publicitário paraibano Lucas Salles, contratado pela campanha de Jair Bolsonaro (PSL) para cuidar do marketing eleitoral.

O nome de Lucas ganhou o Brasil no fim de semana, a partir da notícia de sua escolha por Bolsonaro.

Salles admitiu: o convite surpreendeu. “Não fizemos lobbie nenhum. Eu acredito na mão de Deus. Não acontece por acaso”.

O interlocutor das conversas foi outro paraibano, Julian Lemos, vice-presidente nacional do PSL.

Lucas terá de vencer o duro desafio de resumir a mensagem de Bolsonaro em 3 segundos em cada horário de propaganda gratuita. Duas por dia.

“Quem me conhece sabe que trabalho sempre com conceitos verdadeiros”, sentenciou, durante entrevista por telefone ao Arapuan Verdade – Rede Arapuan de Rádio.

A arma contra o insignificante tempo no rádio e na TV é a criatividade, em primeiro lugar, e as redes sociais, em segundo. Nesse quesito, Bolsonaro leva vantagem. Ele tem 100 milhões de seguidores.

O marketing da campanha não vai interferir, por exemplo, na forma do candidato se expressar e se comunicar, priorizando uma linguagem fácil.

“Existe uma forma de falar própria e ele é aberto. Ele é um candidato que ama os valores da família, a pátria. Ao tempo que é liberal, ele também não quer entregar as riquezas do País”.

Antes de começar seu trabalho, Lucas está convencido de uma coisa: “Brasil precisa de um líder que tenha temor a Deus”.

Esse líder, na visão de fé de Lucas, é o (Jair) Messias Bolsonaro.

Heron Cid

Antes “golpista”, Veneziano vira “companheiro” para presidente do PT

Não faz muito tempo que o deputado Veneziano Vital (PSB) era taxado de “golpista” pelo presidente estadual do PT, Jackson Macêdo, até então contrário a presença do ex-prefeito de Campina Grande e pré-candidato ao Senado na chapa encabeçada por João Azevedo (PSB). Tudo mudou. Os dias passaram e, nesta segunda-feira (30), o petista saiu em defesa do “companheiro Veneziano”, a quem prometeu engajamento na campanha.

“Temos que ter a consciência da importância de estar unificado em torno do projeto de João Azevedo e de estar votando na chapa completa. Veneziano tem feito movimentos importantes, porque votou contras as reformas de Temer e duas vezes a favor das denúncias contra Temer”, argumentou.

“O PT apoia e sinaliza voto em Veneziano. Estaremos firmes e fortes na campanha do companheiro Veneziano. Podemos eleger João e dois companheiros do campo democrático e popular. Vou defender que o PT vote, faça campanha e ajude Veneziano”, acrescentou.

Como diria o poeta Latino, quem vive de passado é museu.

A cajadada do pastor Everaldo

Presidente nacional do PSC, pastor Everaldo Dias, deu uma cajadada nos partidos que disputam o apoio do clã Gadelha na Paraíba.

“Quem quiser o apoio do PSC tem que abrir espaço para Manoel Júnior. Não abrimos mão de Manoel. Ele é nosso candidato ao Senado e está resolvido”, sentenciou.

Na Paraíba, o PSC se dividiu entre caminhar com o MDB, de José Maranhão, e o PV, de Lucélio Cartaxo, mas a decisão passa pela viabilidade eleitoral a ser oferecida aos Gadelhas, Leonardo e Renato, para Câmara e Assembleia respectivamente.

Ao autor do Blog, no Arapuan Verdade, da Arapuan FM, Everaldo ainda colocou o deputado federal Marcondes Gadelha como virtual candidato a vice-presidente na chapa do economista Paulo Rabello de Castro.

A decisão poderá ser tomada até a próxima quarta-feira (1).

Ricardo pediu neutralidade ao PSB

Em encontro com o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, o governador Ricardo Coutinho pediu que o partido adote a neutralidade entre o apoio ao presidenciável do PDT, Ciro Gomes, ou a adesão ao PT, do ex-presidente Lula. A convenção nacional do PSB acontece no próximo dia 5.

A informação é da coluna Radar, de Veja.

A eventual neutralidade do PSB facilitaria a adesão do PT a João Azevedo (PSB). Há duas semanas, o pessebista disse que seguiria a decisão da executiva nacional.

Siqueira reuniu Ricardo Coutinho, Paulo Câmara, governador de Pernambuco, que defende uma aliança com o PT; Rodrigo Rollemberg, governador do Distrito Federal, que apoia Ciro; e Márcio França, governador de São Paulo, que ainda acredita em candidatura própria.

As condições de Luiz Couto para disputar o Senado

O deputado federal Luiz Couto (PT) elencou três condições para disputar o Senado. Em tratativa com a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffman, o padre pediu primeiramente o apoio do ex-presidente Lula (PT). Segundo, contar com o voto do governador Ricardo Coutinho. Terceiro, a estrutura partidária para estar na disputa.

>> A posição de Kassab 

Das três, duas Couto já teria sido atendido, restando a manifestação do governador Ricardo Coutinho.

Sem sucesso com o PP dos Ribeiros, o referendo do pessebista é questão de tempo.

A posição de Kassab

O ministro e presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, não atendeu o aceno do governador Ricardo Coutinho (PSB) de oferecer a vaga de vice ao partido na chapa de João Azevedo, pré-candidato do PSB ao governo.

>> Ricardo oferece vaga de vice de João ao PSD

Quem revelou foi o ex-deputado Inaldo Leitão (PSD), intermediário do convite de Coutinho ao comando nacional do PSD.

“Ele [Kassab] não vai interferir”, transmitiu Leitão.

Inaldo Leitão esteve com Kassab na tarde de ontem (26), em Brasília. “Embora seja a última instância do partido, ele disse que essa decisão tem que passar pelo estado. Não vai interferir de forma autoritária, mas quer o melhor para o partido”, complementou Inaldo ao Arapuan Verdade, da Arapuan FM.

Inaldo pretende se reunir ainda nesta sexta-feira (27) com a presidente estadual do PSD, Eva Gouveia, para retransmitir pessoalmente a mensagem de Kassab.

Álvaro Neto, o nome do Avante para a chapa

Álvaro Gaudêncio Neto, empresário e ex-deputado, é o nome apontado pelo Avante para a composição da chapa de João Azevedo (PSB), informa o jornalista Heron Cid.

A indicação foi chancelada hoje pelo presidente do Avante, deputado estadual Genival Matias.

Álvaro presidiu no passado o PHS e já comandou a Transpetro.