PV confirma aliança com Marina e Jorge como vice

O PV confirmou na tarde desta quinta-feira que fechou apoio para a candidatura presidencial de Marina Silva para as eleições deste ano. O presidente do partido, José Luiz Penna, confirmou para o Estadão a aliança com o Rede e Eduardo Jorge como vice na chapa.

“O PV entendeu que essa aliança fortalece as composições nos Estados”, disse Penna. O anúncio oficial deve ser nesta sexta-feira.

BR 18

Aécio Neves, o decadente

O mineiro Aécio Neves (PSDB) está em plena decadência. De quase presidente da República, em 2014, o tucano decidiu abandonar a reeleição ao Senado e tentará chegar à Camara Federal.

Desgastado pelas investigações da delação do empresário Joesley Batista, além de outros inquéritos da Operação Lava-Jato, Aécio Neves foi pressionado a sair da cena política. Cedeu em parte para não comprometer a candidatura do senador Antonio Anastasia (PSDB) ao governo de Minas.

De zero a dez

Cinco. É a escala da cúpula do Democratas para medir os entendimentos com o PSB, a três dias do fim do prazo das convenções partidárias.

O DEM reivindica a vaga de vice na chapa encabeçada pelo ex-secretário de infraestrutura do Estado, João Azevedo (PSB). Para tanto, sugere o nome do ex-senador Efraim Morais.

A preço de momento, a família Morais não está nem lá nem cá.

STF deve julgar pedido de liberdade de Lula na próxima semana

O STF deve julgar na próxima semana o pedido para que o ex-presidente Lula (PT), preso por corrupção, seja libertado e autorizado a disputar as eleições de outubro, informa O Globo.

Segundo o jornal, Edson Fachin, que hoje defendeu “celeridade” na resolução do assunto, deve liberar o caso para a pauta até semana que vem, e Cármen Lúcia pode marcar o julgamento em plenário na sequência.

A intenção dos dois é que o STF defina o imbróglio antes que o TSE analise os pedidos de candidatura, que podem ser apresentados até 15 de agosto.

O Antagonista

Neutralidade é dada como certa no PSB

Uma péssima notícia para o PDT de Ciro Gomes. O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, comunicou a deputados e governadores, que o partido ficará em cima do muro na eleição presidencial.

“A neutralidade já está tomada”, admitiu o deputado mineiro Júlio Delgado ao Blog.

Em troca da neutralidade do PSB, o PT retirou a candidatura de Marília Arraes, em Pernambuco – ameaça para o governador Paulo Câmara (PSB), que tentará a reeleição.

Não por acaso, o governador Ricardo Coutinho abraçou as revindicações petistas na Paraíba.

PT rifa Marília Arraes em Pernambuco

Calo para reeleição de Paulo Câmara (PSB), governador de Pernambuco, a vereadora recifense Marília Arraes (PT) foi rifada da disputa pela presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann.

A movimentação petista faz parte de um eventual acordo pela neutralidade do PSB no cenário nacional, evitando o apoio da sigla ao presidenciável Ciro Gomes (PDT).

A neta de Miguel Arraes considerou a decisão “um equívoco”. Ela ainda tentou, sem sucesso, argumentar contra a medida partidária. A Executiva vai votar a retirada da candidatura dela na tarde desta quarta-feira, mas a decisão é consensual neste grupo.

Com Estadão

Frei, o herdeiro do padre

Nem Marcos Henriques, nem Anísio Maia. O cobiçado espólio eleitoral do deputado federal Luiz Couto (PT), pré-candidato ao Senado Federal na chapa encabeçada por João Azevedo (PSB), ficará na igreja. O deputado estadual Frei Anastácio (PT) foi o escolhido para herdar parte do eleitorado do padre. O vereador pessoense Marcos Henriques mantém a postulação à Câmara, mas sem as bençãos dos fiéis.

Gervásio promete vigilância na ALPB

A pouco mais de 60 dias para a eleição, a Assembleia Legislativa da Paraíba retomou, hoje, os trabalhos referentes ao segundo semestre legislativo. O presidente da Casa, Gervásio Maia (PSB), prometeu estar atento aos eventuais faltosos que deixarão de cumprir a agenda para fazer campanha.

“Nós iremos viver um ano eleitoral atípico, com apenas 45 dias. Mas estaremos vigilantes e tenho certeza que tudo dará certo, estamos conciliando essa situação toda num acordo com os líderes e vamos fazer valer o nosso regimento. O acordo terá que ser cumprido, é claro. Eu acredito que dará certo, vai dar pra cumprir as atividades parlamentares e as de campanha”, disse o pessebista que é pré-candidato a deputado federal.

A conferir.