Marina diz que o país está entre a “cruz da corrupção” e a “espada da violência”

Marina Silva cumpriu agenda de campanha nesta segunda-feira (1), em João Pessoa. Depois de uma caminhada no Parque da Lagoa, a candidata a presidente pela Rede Sustentabilidade visitou o Sistema Arapuan de Comunicação para uma entrevista com os jornalistas Heron Cid e Adelton Alves.

Marina prometeu gerar dois milhões de empregos com energia renovável caso seja eleita. A ex-senadora também fez críticas a Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL), simbolizando a disputa de “cruz da corrupção” contra a “espada da violência”. 

Assista:

Ciro: “Confronto entre PT e Bolsonaro levará o Brasil para uma tragédia”

Em entrevista ao Arapuan Verdade, da Rede Arapuan de Rádio, o presidenciável do PDT, Ciro Gomes, definiu o confronto entre PT e Jair Bolsonaro (PSL) em “tragédia” para o Brasil.

“O confronto entre o PT e Bolsonaro vai levar o Brasil para uma tragédia. Não podemos votar contra, temos que votar em algo que construa, algo que interrompa esse confronto”, disse.

“Quero pelo menos, se eu não conseguir vencer essa parada, que todo mundo anote no fundo do coração, que tinha um brasileiro humilde, mas muito cheiro de moral e autoridade para dizer “Não gostaria que isso acontecesse, mas eu avisei antes””, continuou.

Também em crítica a Fernando Haddad (PT) e a Jair Bolsonaro (PSL), Ciro classificou como “itinerário da loucura” a proposta de formulação de um novo texto constitucional. 

“A Constituição é a lei que protege a população e a gente não pode trocá-la como se muda de roupa. Tudo o que é mais importante está nela”.

No debate da TV Record, ontem (30), Haddad defendeu a criação de condições para que seja feita uma Constituição mais “moderna” e “enxuta”. No mês passado, o vice de Bolsonaro, Hamilton Mourão, sugeriu também um novo texto constitucional feito por um conselho de notáveis.

Ciro ainda fez um apelo aos paraibanos.

”Não votem contra o Brasil”.

Presidente do PSDB-PB exclui Alckmin do santinho

O candidato a presidente pelo PSDB, Geraldo Alckmin, está em baixa com os tucanos da Paraíba.

Depois do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) criticar os ataques ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), o presidente estadual do partido e candidato a deputado federal, Ruy Carneiro (PSDB), excluiu o ex-governador de São Paulo do seu santinho.

Ruy sugere ao eleitor voto para deputado estadual, federal, senadores e governador.