Barbosa morde e assopra

A votação da PEC pelo fim da antecipação da eleição e reeleição para Presidência da Assembleia continua rendendo.

Autor da proposta, o deputado Ricardo Barbosa (PSB) tratou de “casuísmo absurdo” e antidemocrática a contestação da base governista e do governador Ricardo Coutinho (PSB), que se envolveu na polêmica.

No mesmo discurso na tribuna, nesta terça-feira (20), Barbosa pediu desculpas aos colegas pelos “exageros”, segundo o próprio parlamentar.

Mordeu e assoprou!

Bruno ‘cola’ em Romero

Postulante a PMCG em 2020, o deputado estadual Bruno Cunha Lima (SD) iniciou mais uma semana colado no prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB).

O parlamentar, que se despede da Assembleia nas próximas semanas, acompanhou ontem o tucano na assinatura da ordem de serviço de uma praça.

Falta de abrigo não será problema para Bruno.

Resistência à Lemos

Deu na Painel da Folha de SP. Cotado pelo ex-presidente do PSL, Gustavo Bebianno, para assumir a condição de líder do governo Bolsonaro na Câmara, o deputado federal eleito Julian Lemos (PSL-PB) enfrenta resistência interna entre aliados do presidente eleito, Jair Bolsonaro. Pesa contra o paraibano, a inexperiência de ser um parlamentar de primeira viagem e as acusações de agressão contra a ex-mulher e irmã.

Vendendo seu ‘peixe’

O governador Ricardo Coutinho (PSB) foi a grande atração do 36º seminário Motores do Desenvolvimento do Rio Grande do Norte. O pessebista contou sobre a exitosa experiência de administrar a Paraíba por oito anos – a quem serve de inspiração para paraibana Fátima Bezerra, eleita governadora do estado vizinho, e presente no evento. Sem mandato a partir de janeiro, Coutinho já admitiu o desejo de continuar palestrando pelo país. Ou melhor: vendendo seu ‘peixe’. 

O dever de casa de Aguinaldo

Na nota que a Superintendência da Companhia Brasileira de Trens Urbanos na Paraíba garantiu a permanência do VLT – que seria encaminhado para Brasília – no estado, a de se destacar a atuação do deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP), líder do governo Michel Temer na Câmara, para o recuo da direção nacional. O parlamentar fez o dever de casa. 

Ponte Redenção-Planalto

Vice-presidente nacional do DEM – partido que exercerá forte influência no governo Bolsonaro -, o deputado federal Efraim Filho está disposto a “construir pontes e não muros” na relação entre o governador eleito da Paraíba, João Azevêdo (PSB), e Jair Bolsonaro (PSL), presidente eleito do Brasil. Depois de uma desgastante eleição, talvez só quem esteve dos dois lados, poderá aproximar os diferentes. 

No vácuo

O deputado federal eleito Julian Lemos (PSL) não perde a oportunidade de se dirigir ao governador Ricardo Coutinho (PSB). A última acusa Ricardo de apoiar o trabalho escravo no país – em referência a crítica do socialista pela saída dos médicos cubanos do programa Mais Médicos. Coutinho, porém, não rebate nenhuma alfinetada do braço direito de Bolsonaro. Tem deixado no vácuo. Ou seja: falando sozinho.

A última missão de Daniella

A senadora eleita Daniella Ribeiro (PP) pediu uma nova audiência com o governador Ricardo Coutinho (PSB). A deputada estadual quer tratar da Escola Técnica Redentorista, uma das mais tradicionais de Campina Grande, que anunciou encerrar as atividades por problemas financeiros.

“Espero que o governador faça da mesma forma que fez antes da eleição quando me recebeu para tratar sobre segurança pública”, cobrou a parlamentar para aquilo que pode ser a sua última missão na Casa de Epitácio Pessoa.

Menos saúde

Tutor do Mais Médicos na Paraíba, Felipe Proenço, está preocupado com a saída dos médicos cubanos do programa. No estado, são 128 profissionais vindos de Cuba atuando em áreas de altíssima vulnerabilidade. Regiões que deixarão de ter assistência também por desinteresse de médicos brasileiros em trabalhar nessas localidades.