política

O que (quase) ninguém viu da visita do ministro Ramos ao Palácio da Redenção

A passagem do ministro-chefe do governo de Jair Bolsonaro, Luiz Eduardo Ramos, pela Paraíba, foi marcada pelo distensionamento da relação entre os Palácios do Planalto e da Redenção. Pelo menos aparentemente. Quase três meses depois de Bolsonaro atacar governadores do Nordeste de ‘paraíba’, Ramos elogiou a “excelente gestão” do governador João Azevêdo (PSB), que por sua vez destacou o fortalecimento da ‘relação republicana’ durante encontro na sede do governo paraibano. A visita do auxiliar de Bolsonaro trouxe outros detalhes que (quase) passaram batidos. Confira alguns abaixo:

Banquete para o ministro 

Durante entrevista coletiva após o encontro, o ministro trocou sorrisos com o governador João Azevêdo e agradeceu a hospitalidade do povo paraibano, representada pela recepção no Palácio da Redenção. E que recepção. A começar pelo banquete ofertado no almoço. Bacalhau, feijoada, salada e outras opções deram sabor a nova fase da relação entre Paraíba e Brasília.

Bolsonaristas no paraíso

Aliados do presidente Jair Bolsonaro na Paraíba eram só sorrisos no Palácio da Redenção, demonstrados na imagem acima do deputado federal Julian Lemos (PSL). Outros bolsonaristas presentes, hoje, no Palácio, se mostraram deslumbrados com a sede do governo estadual. Cada passo era um flash.

Segurança máxima 

O efetivo da Polícia Militar e a quantidade de seguranças particulares para recepcionar o ministro, chamaram a atenção de curiosos que passavam pelas imediações do Palácio da Redenção. Por algumas horas, o entorno da sede do governo paraibano foi o local mais protegido do estado. Nem o Wi-Fi passava.

Até o Psol flexibiliza

Enquanto João Azevêdo, Luiz Eduardo Ramos e companhia discutiam assuntos administrativos dentro do Palácio, fora dele transitava o presidente do Psol paraibano, Tárcio Teixeira, que abordado pelo autor do Blog, considerou importante o diálogo que acontecia. Até o Psol é capaz de flexibilizar o discurso…

Sintonia 

A palavra que definiu o encontro.

Desconforto 

A pergunta feita pelo autor do Blog sobre o indiciamento da Polícia Federal contra o Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro, por crime eleitoral e associação criminosa, no caso das candidaturas laranjas, foi o único momento de desconforto do ministro Luiz Eduardo Ramos em sua agenda na Paraíba. Ele não quis tratar do assunto (vídeo abaixo).

Chamado

Após o encontro com o ministro, o governador João Azevêdo chamou para um nova reunião os deputados estaduais Ricardo Barbosa, Adriano Galdino e João Gonçalves, e os secretários Deusdete Queiroga e Geraldo Medeiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: