política

João vê assédio de partidos dar lugar a indiferença

Ao deixar o PSB e adiar a definição do seu destino partidário, o governador João Azevêdo abriu margem para especulações de tudo e todos.

Já teve partido que o convidou e desconvidou. Foi o caso do Podemos, que recuou após o gestor ser citado em uma delação na Calvário.

O PDT da vice-governadora Lígia Feliciano tratou com absoluta frieza um eventual ingresso de Azevêdo na legenda.

“Não tem convite ainda por parte da direção nacional, não tivemos tempo”, disse o presidente Carlos Lupi à Arapuan FM.

O assédio de partidos – comum em situações como a de João, por se tratar de um governador sem legenda – deu lugar a indiferença. É de se estranhar.

+ A esquerda que anda tranquila na Paraíba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: