Política

Deputada chuta o pau da barraca do PSB, e lembra: “Sou presidente da CCJ”

A deputada estadual Pollyana Dutra (PSB) chutou o pau da barraca do PSB, nesta terça-feira (21).

A parlamentar não foi convidada para reunião entre a comissão designada pelo ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) com o governador João Azevêdo (PSB), nessa segunda-feira (20).

Ela chegou a falar em retaliação sofrida juntamente com o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), deputado Adriano Galdino (PSB), ainda em decorrência do resultado da eleição da Casa, quando o governo não conseguiu eleger o deputado Hervázio Bezerra (PSB) para o segundo biênio.

E lembrou:

– Sou presidente da CCJ [Comissão de Constituição e Justiça], uma das mais importantes da Casa, não podemos esquecer disso. Eu e Adriano, até então, estamos sendo tratados como se não fizéssemos parte do PSB, o presidente exerce uma função política muito importante nesse estado, ele não pode ser esquecido e isolado.

Quem avisa amigo é?

 
Legislativo

Adriano quer trégua na Assembleia

O presidente Adriano Galdino (PSB) quer uma trégua na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), foco de tensão entre os próprios aliados do governo e com oposicionistas. Uma semana depois de pedir para os deputados afastarem o tema Calvário da Casa, Galdino promoverá um encontro com os líderes nesta semana, para entre outros assuntos, acalmar os ânimos dos parlamentares. “Todavia próxima (nesta) semana teremos reunião e vamos dialogar e resolver tudo”, disse ao autor do blog na última sexta-feira (10). A nova legislatura tem colecionado uma série de situações embaraçosas para a imagem da Assembleia: bate-boca, troca de acusações e até murro na mesa. Uma sessão chegou a ser encerrada antes do previsto por uma ríspida discussão entre deputados.

Legislativo

Galdino quer Calvário longe da ALPB

Para o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Adriano Galdino (PSB), o assunto Calvário precisa ser afastado da Casa.

O deputado afirmou que os órgãos fiscalizadores, como Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado, estão conduzindo com êxito as apurações de um suposto esquema de corrupção na Saúde, restando ao legislativo aguardar o desfecho da Operação.

Nesta terça-feira (7), Adriano Galdino puxou a orelha da oposição, que estaria antecipando o início das sessões para destacar os desdobramentos da Calvário.

Política

Ao colocar imprensa em xeque, Virgolino ‘atira’ em Galdino, presidente da ALPB

O deputado estadual Wallber Virgolino (Patri) é uma metralhadora giratória. Não poupa ninguém. O novo alvo do delegado é a imprensa. O parlamentar está sugerindo ao Ministério Público a operação “Lava Imprensa”, com foco em jornalistas que estariam na folha da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) sem suar a camisa da Casa.

Virgolino não cita nomes, o que ainda é mais grave. Nem todo jornalista é vendido, a ponto de receber dinheiro sem trabalhar, se é que há algum, como sugere o novato deputado. Quando não cita nomes, acaba colocando todos no mesmo balaio. Não é justo.

Na ânsia de mostrar trabalho, Virgolino tem cometido gafes e com isso sofrido duras críticas. Talvez seja a razão do seu descontentamento com a imprensa. Nada que justifique acusações sérias contra uma importante classe sem provas, a princípio. Se não quer ser criticado, basta evitar lambanças. É simples.

Mais do que colocar em xeque a lisura da imprensa, Virgolino não percebeu que ‘atirou’ por tabela no presidente Adriano Galdino (PSB), que ele apoiou na eleição da Casa.

Se há jornalista recebendo da Assembleia sem trabalhar, o presidente estaria cometendo irregularidade, empregando funcionários fantasmas. E por qual razão Galdino empregaria jornalistas que não trabalham pela Assembleia? Isso faz com que várias especulações sejam levantadas. Uma delas é o famoso cala boca.

Ao acusador, o ônus da prova. A bola é sua Virgolino. Ou melhor, a metralhadora.

Saiam da frente!

Legislativo

Adriano cobra CPIs de deputados

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Adriano Galdino (PSB), está cobrando das deputadas Cida Ramos e Estela Bezerra, ambas do PSB, além do deputado Júnior Araújo, do Avante, a instalação imediata das CPIs (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Feminicídio, Homofobia e Fábrica das Multas, usadas pela base governista para impedir a da Cruz Vermelha. Tanto é que, depois do tema esfriar, os deputados não se deram ao trabalho de colocar as CPIs para funcionar.

Assembleia

Adriano ataca ponto fraco dos colegas

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Adriano Galdino (PSB), decretou: deputados que não comparecerem para votação de matérias no plenário terão corte de R$ 800 no salário, a partir desta terça (9). Para elevar a assiduidade dos parlamentares, Adriano atacou o ponto fraco dos colegas: o bolso.

ALPB

Adriano vai chamar o feito à ordem

Não é casa da mãe Joana O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Adriano Galdino (PSB), não gostou da baixaria que tomou conta da Casa nessa quarta-feira (27). Em São Luís (MA), para o encontro de presidentes das Assembleias Legislativas do Nordeste, Galdino disse à rádio CBN que terá primeiro uma reunião com o colegiado de líderes e uma outra com todos os deputados. Promete dar um puxão de orelha nos rebeldes. 

Errata: diferente do que foi informado inicialmente, o encontro acontece em São Luís e não em Brasília, e reúne presidentes das Assembleias da região Nordeste e não do país inteiro. Atualizado às 19h

ALPB

Tião e Adriano selaram acordo há uma semana

Há pelo menos cinco dias da eleição da Assembleia, o acordo entre os deputados Tião Gomes (Avante) e Adriano Galdino (PSB), que desmontaria o plano do governo, foi selado. Aos mais próximos, Galdino já confidenciava que brigaria também pelo segundo biênio. Não deu outra. Em cima do laço, Tião recuou, Adriano surpreendeu ao entrar na disputa e derrotou Hervázio Bezerra (PSB).

>> Hervázio e os dois lado da moeda

Eleição da ALPB

Hervázio e os dois lados da moeda

Na eleição da Assembeia, o deputado Hervázio Bezerra (PSB) viveu os dois lados da moeda: o de quase presidente do segundo biênio e a solidão de quem inesperadamente foi derrotado.

Quando pisou na Casa, na última sexta-feira (1), não faltaram bajuladores ao seu redor, afinal era o parlamentar ungido pelo governo para comandar a Assembleia no segundo biênio e havia uma grande perspectiva de poder. Um chegou a suplicar ao deputado que não esquecesse dos amigos mais antigos. 

Só que tudo deu errado quando Adriano Galdino (PSB), já eleito para o primeiro biênio, também se colocou na disputa do segundo e venceu.

A Hervázio restou um único consolo, o abraço do filho e vereador Léo Bezerra (PSB).