Política

Eleita por Rosilene, presidente da FPF lacra em ato pró-Bolsonaro

A presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Michelle Ramalho, lacrou (vídeo abaixo) durante a manifestação pró-Bolsonaro, ontem (26), em João Pessoa.

– Tudo que está acontecendo com o nosso capitão eu sinto na minha pele. O nosso futebol era viciado, era um futebol safado, era um futebol que não se podia confiar.

Continuou:

– Com muita transparência e moralidade, nós estamos conseguindo tirar o futebol da lama e vamos tentar ajudar o nosso capitão para tirar toda essa política e o Brasil da lama também.

Michelle Ramalho foi eleita presidente da FPF com apoio político da amiga e ex-presidente Rosilene Gomes, que comandou a entidade por 24 anos e condenada recentemente pela justiça a uma pena de 5 anos de prisão e 50 dias-multa, em regime semiaberto, por ter desviado materiais esportivos no valor de R$ 15 mil pertencentes à FPF.

Michelle também mostrava influência com os ex-presidentes da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Marco Polo Del Nero, que não sai do país para evitar o risco de ser preso, e de José Maria Marin, condenado pela justiça americana a quatro anos de prisão por crimes de organização criminosa, fraude bancária e lavagem de dinheiro no período em que foi presidente da CBF de 2012 a 2015.

Futebol

Michele Ramalho precisa provar que não é de enfeite

A presidente da Federação Paraibana de Futebol, Michele Ramalho, vai precisar provar se o prestígio que mantém com os poderosos da CBF – o que muitas vezes não significa coisa boa – serve apenas para postar fotos no Instagram ou funciona na prática. 

O Treze, que é um dos dois representantes paraibanos na Série C do Campeonato Brasileiro, teve seis pontos subtraídos pela arbitragem nos três primeiros jogos da competição – a considerar os gols que poderiam ser feitos nos pênaltis claros não marcados contra Santa Cruz (PE) e Imperatriz (MA), além do gol mal anulado contra o ABC (RN).

Michele Ramalho, que em recente entrevista revelou o desejo de ajudar colocar um time paraibano em uma Série A de Brasileiro, terá que ser menos digital influencer e mais presidente.

O homem do apito

Você conhece Arthur Alves?

Arthur Alves é o novo comandante da arbitragem do futebol paraibano.

Ele é ex-presidente do Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado de São Paulo e desembarcou no estado por decisão da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) ainda na intervenção que antecedeu a vitória da advogada Michele Ramalho à frente da Federação Paraibana – tanto a intervenção, quanto a eleição, são alvos de investigação de fraude.

Em dezembro de 2015 foi demitido do antigo cargo que ocupava há dez anos na FPF (Federação Paulista de Futebol) após ter sido acusado de assédio moral e sexual pela árbitra Fifa Regildênia de Holanda Moura.

Em reportagem do site UOL, a época, mais mulheres relataram ter sofrido assédio de Arthur. Na mesma publicação, pesa contra o homem do apito na Paraíba a acusação entre outros crimes o de falsificação.

Dirigentes de outras federações reagiram com incredulidade ao saber que Arthur Alves está atuando na Paraíba. Ontem (4), aliás, comandou os testes físicos dos árbitros para o Campeonato Paraibano 2019.

No ano seguinte a Cartola – operação responsável por desvendar a compra de árbitros e fraudes no certame local – o futebol paraibano mostra que nada aprendeu.

Importação

O polêmico árbitro Marcelo Aparecido de Souza, o da final do Campeonato Paulista entre Palmeiras e Corinthians em 2018, é a primeira importação de Arthur Alves. Ele fará parte do quadro de árbitros da Federação Paraibana, que perdeu boa parte dos seus apitadores na Operação Cartola.

Auditora do STJD é eleita presidente da FPF

Michele Ramalho é a nova presidente da Federação Paraibana de Futebol. Aliada a ex-presidente Rosilene Gomes, que comandou o futebol paraibano por mais de 20 anos, a advogada superou Eduardo Araujo, ex-diretor da gestão de Amadeu Rodrigues (presidente afastado na Operação Cartola), por 26 votos a 24.

Michele Ramalho vai comandar a FPF pelos próximos quatro anos. Junto com ela, também foram eleitos vice-presidentes Thalita Gomes, que é neta de Rosilene Gomes, Nosman Barreiro Filho, filho de Nosman Barreiro, vice-presidente afastado da FPF, e Marcílio Braz, atual presidente do Conselho Fiscal da entidade.

Ramalho é auditora do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e ligada ao Treze Futebol Clube, para quem já prestou serviço como advogada.

STJD estuda afastamento de Amadeu Rodrigues

A procuradoria-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol (STJD) estuda o afastamento do presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Amadeu Rodrigues.

O Blog foi informado que o STJD aguarda ser notificado oficialmente pela Justiça Criminal paraibana, através da 4ª Vara Criminal de João Pessoa, para tomar uma posição diante do escandaloso esquema que a Operação Cartola investiga no futebol paraibano.

A medida a ser tomada seria uma intervenção na FPF.

STJD intima FPF e TJDF-PB por descumprimento de decisão

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) está intimando a Federação Paraibana de Futebol (FPF) e o Tribunal de Justiça Desportiva da Paraíba (TJDF-PB) para se manifestarem no prazo de 24 horas sobre o descumprimento da liminar desse sábado (17), a qual o presidente em exercício Paulo Cesar Salomão Filho derruba a decisão local do presidente Lionaldo Santos de suspender a marcação da partida entre Botafogo-PB x Treze pela semifinal do Campeonato Paraibano 2018, agendada para este domingo (18).

Vice da FPF pode ‘prender’ Amadeu de ir à Rússia

O presidente da Federação Paraibana de Futebol, Amadeu Rodrigues, ainda não confirmou a Confederação Brasileira de Futebol se vai à Rússia para a Copa do Mundo, em junho. A entidade nacional está convidando os 27 presidentes de federações para o Mundial com tudo pago.

Amadeu está temeroso com a possibilidade do vice-presidente e desafeto Nosman Barreiro assumir a federação em caso de sua ausência, o que já aconteceu em junho do ano passado quando o presidente chefiou a delegação da seleção brasileira sub-20 no torneio de Toulon, na França. Amadeu abandonou a delegação nacional e voltou às pressas para a Paraíba.

Além dos presidentes de federações, dez presidentes de clubes da Série A e B foram sorteados e seguirão com a caravana da CBF.