Governo da Paraíba

Detalhe

A exoneração da secretária de Administração do Estado, Livânia Farias, foi publicada pelo governo do Estado, em edição extra, dessa segunda-feira (18). Detalhe: o ato governamental está datado na sexta-feira (15 de março), um dia antes da prisão de Livânia no âmbito da Operação Calvário.

Política

Governo aposta em agenda positiva contra crise

Em meio ao vendaval da Operação Calvário, com direito a prisão da secretária de Estado, Livânia Farias, o governo faz a sua parte e tenta abafar a crise com agenda de anúncios positivos. Nesta terça (19), o governador João Azevedo (PSB) lança o programa Paraíba Rural Sustentável com dinheiro do empréstimo de US$ 50 milhões, conseguido junto ao Banco Mundial no mês passado. Ontem, João já havia dado início ao Ciclo 2019 das audiências públicas do Orçamento Democrático. 

Contra parede

A prisão de Livânia Farias, aliás, será explorada ao máximo pela oposição nesta semana na Assembleia Legislativa. O deputado Raniery Paulino (MDB), líder oposicionista, avisou que continuará batendo na tecla da instalação da CPI da Cruz Vermelha na Casa. A ordem é colocar a Situação contra parede. 

Alerta ligado

O secretário de Educação do Estado, Aléssio Trindade, informou ao blog que medidas de precaução tem sido tomadas nas escolas da rede estadual de ensino diante da onda de violência contra colégios do país. Monitoramento e palestras sobre paz e violência tem sido reforçadas. “Quando monitoramos riscos ou ameaças mobilizamos uma equipe volante de apoio”, disse.

Vereador federal

Está inaugurado um novo cargo no país: vereador federal. É o caso de Carlos Bolsonaro, eleito vereador do Rio, mas que toca a agenda do país – quando não está tuitando pelo pai – enquanto o presidente está nos Estados Unidos. Nessa segunda (18), o 02 fez reuniões com deputados sobre a reforma da previdência. E, claro, postou no Twitter. 

Paraíba

Ouça: Gaeco diz que “não há como dissociar” Governo e Calvário

O coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) na Paraíba, Octávio Paulo Neto, disse ao programa radiofônico Correio Debate (98 FM), que “não há como dissociar” o Governo da Paraíba das investigações da Operação Calvário. “Inclusive uma das pessoas que está presa é um servidor público, da secretaria de Administração”.

Por mais de uma vez o governador João Azevedo (PSB) tentou minimizar o impacto das investigações do Ministério Público sobre o governo ao afirmar que a apuração mira “a relação da Cruz Vermelha com seus fornecedores”.

“Não há como a gente desvencilhar isso. As OS [Organizações Sociais] receberam a incumbência de gerir determinados hospitais e em tese tratam de recursos públicos. As coisas são intricadas e convergentes”, disse Paulo Neto. Ouça abaixo.

Política

Virgolino, uma metralhadora giratória

Quando o assunto é metralhar, o deputado Wallber Virgolino (PATRI) não poupa ninguém. Do laranja ao verde. Se bate no governo do PSB como se tivesse batendo em uma jumenta no caso da Cruz Vermelha, o delegado faz o mesmo com a gestão do prefeito Luciano Cartaxo (PV), em João Pessoa. Em duas publicações no Instagram, nesta terça-feira (12), o parlamentar cobrou da prefeitura uma posição sobre o acúmulo de lixo nas ruas do Bessa e o lamaçal no Planalto, causado pela falta de infraestrutura no bairro. É uma metralhadora giratória. Sai da frente.

 

Brumadinho, Flamengo, Almeidão

Quanto vale uma vida?

Quanto vale uma vida? A julgar pelos crimes em Brumadinho e Flamengo chegaremos à conclusão que não vale nada. Pior. A quase tragédia de ontem (9), durante um jogo do Campeonato Paraibano, é a triste constatação que os dois casos de grande repercussão nesse início de 2019 não são isolados da criminosa negligência.

Parte da estrutura do estádio Almeidão, em João Pessoa, desabou e atingiu um torcedor, que no momento estava acompanhado do seu filho de 7 anos. O pedaço de concreto media 80 centímetros. O Governo do Estado, que investiu recentemente quase 20 milhões na estrutura do local, diz que foi pego de surpreso. A promessa é de mais uma vistoria nesta segunda-feira (11).

Em matéria de vistoria, aliás, os precários estádios da Paraíba são campeões. Diga-se, com a conivência do Ministério Público, que através do promotor Valberto Lira, afirma antes de todo início de Campeonato Paraibano que os estádios não possuem laudos, não têm condições, mas no fim das contas tudo é resolvido. A vida vira um mero detalhe. 

paraíba

Almeidão, um estádio caindo aos pedaços

Foto: Pedro Alves/globoesporte

Um pedaço da marquise do estádio Almeidão, em João Pessoa, caiu neste sábado (9), durante o jogo Botafogo-PB e CSP pelo Campeonato Paraibano. Um torcedor foi atingido. Por obra divina não custou a sua vida. O Governo, através da Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), disse mais uma vez que foi pego de surpresa. Haja surpresas. Vale lembrar que há quatro anos o Governo do Estado gastou quase R$ 20 milhões para recuperação estrutural do estádio. O resultado…

Além da queda, coice

Um dia para o Governo esquecer

Além do surpreendente resultado da eleição da Assembleia, o Governo dormirá com o peso de mais uma fase da Operação Calvário, que investiga os contratos da Cruz Vermelha Brasileira (CVB), filial Rio Grande do Sul, e do Instituto de Psicologia Clínica, Educacional e Profissional (IPCEP), com o Estado. De 2011 até o final do ano passado, a movimentação financeira foi de R$ 1,1 bilhão.

O ex-assessor da Secretaria de Administração do Estado, Leandro Nunes Pereira, foi preso durante a ação coordenada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Foram cumpridos mandados de busca e apreensão, também, contra os secretários Livânia Farias (Administração) e Waldson de Souza (Planejamento e Gestão).

Além da queda, coice.

Nota do governo da Paraíba

A respeito de operação realizada nesta sexta-feira pelo Ministério Público da Paraíba, o Governo do Estado da Paraíba reitera:

1 – Que não teme nenhuma apuração equilibrada e imparcial dos fatos e estará sempre à disposição dos órgãos de controle externo para prestar informações e assegurar transparência nos atos administrativos;

2 – Que não aceitará nem se antecipará a responsabilizações de qualquer natureza sem a devida conclusão de processos internos e externos de apuração;

3 – Que manteve contratos regulares com as organizações sociais que atuam em unidades hospitalares deste estado, assegurando investimentos completamente compatíveis com necessidade de custeio dos hospitais públicos estaduais e, especialmente, solucionando problemas crônicos na prestação de serviços registrados no passado;

4 – Que, por isso, considera capciosa a informação registrada em nota do Ministério Público de que a Operação Calvário investiga desvio na ordem de 1,1 bilhão de reais na Paraíba, visto que esse é o valor total destinado de 2011 a 2018 para funcionamento de hospitais do porte do Trauma de Joao Pessoa, cujos serviços foram indiscutivelmente prestados ao longo destes anos todos;

5 – Que sempre adotou mecanismos de proteção da gestão dos recursos e garantia da qualidade dos serviços prestados pelas organizações sociais, sendo o mais recente dele o Decreto 38952/2019, publicado no Diário Oficial do Estado no dia 25 de janeiro, que assegurou a intervenção do Governo nos contratos de gestão nos hospitais de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, Geral de Mamanguape e Metropolitano Dom José Maria Pires, a fim de manter a qualidade na execução dos atendimentos e a proteção dos recursos públicos investidos;

6 – E, por fim, que defende o modelo de contratação de organizações sociais como caminho mais eficiente para se aprimorar a qualidade dos serviços prestados à população, reduzindo custos e otimizando resultados, como se pôde atestar, claramente, no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, cujo atendimento recebeu certificados de qualidade por organizações nacionalmente reconhecidas.

Paraíba

Um mês depois da Calvário, governo intervém em hospitais

Os hospitais de Emergência e Trauma de João Pessoa, Metropolitano Dom José Maria Pires e o Geral de Mamanguape sofreram intervenção do Governo do Estado na operacionalização e oferta de ações e serviços em alguns hospitais geridos por organizações sociais.

O decreto, assinado pelo governador João Azevêdo (PSB), aponta como razão para intervenção de 90 dias “a ocorrência de fatos que indicam uma instabilidade institucional dentro das Organizações Sociais gestoras das unidades hospitalares indicadas na ementa do presente decreto, constatada pela Secretaria de Estado da Saúde e pela Superintendência de Coordenação e Supervisão de Contratos de Gestão, que podem comprometer a continuidade da prestação dos serviços pactuados e a qualidade do atendimento aos usuários, capaz de ensejar risco quanto ao regular cumprimento das obrigações assumidas nos Contratos de Gestão…”

A decisão acontece após pouco mais de um mês da Operação Calvário coordenada pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) levar para a cadeia responsáveis pelas organizações sociais que atuam nas instituições de saúde paraibanas. Entre eles o empresário Daniel Gomes da Silva e 11 outras pessoas com ligações com a Cruz Vermelha Brasileira e o Instituto de Psicologia Clínica Educacional e Profissional (IPCEP).

executivo

Delegados rebaixados deixam a Paraíba

Delegados rebaixados pelo Governo do Estado na última semana estão de saída da Paraíba.

Um deles é o ex-titular da Delegacia de Defraudações de João Pessoa e responsável pela Operação Cartola, Lucas Sá.

Em menos de três meses, Sá teve a carreira rebaixada duas vezes pelo governo.

A primeira aconteceu em novembro, dois dias depois da TV Globo exibir uma reportagem que cita o nome do então governador Ricardo Coutinho (PSB) em um diálogo entre dois dirigentes do Botafogo da Paraíba investigados por corrupção no futebol paraibano.

Sá caiu para delegado adjunto de Delegacia Especializada e mais recentemente para delegacia Distrital de Cabedelo.

Entre outros delegados rebaixados pelo governo de continuidade do PSB, está o ex-secretário estadual de Administração Penitenciária, Wagner Dorta, que caiu da Delegacia de Crimes contra o Patrimônio para a Delegacia de Crimes contra o Consumidor.

Governo

O time de João

O governador eleito João Azevedo (PSB) fechou nesta sexta-feira (28) o seu time de secretários. A principal mudança é a saída de Cláudio Lima da Segurança Pública. O pessebista anunciou Jean Francisco Bezerra Nunes, que atua como secretário adjunto até o dia 31, para o posto que foi ocupado nos últimos oito anos pelo delegado da Polícia Federal.

Para João, a ideia é integrar cada vez mais as forças de segurança do Estado. O futuro governador agradeceu o trabalho desenvolvido por Cláudio Lima e disse que a política de segurança tem dado certo graças a atuação do atual gestor da pasta.

“Essa política deu certo pelo desempenho dele.  Mas precisa se renovar e não há nenhum problema em relação ao Cláudio”, arrematou.

Confira outros nomes anunciados por João Azevêdo para compor o governo

Escritório de Representação em Brasília

Secretária  – Sueli Santiago

Secretário executivo – Adauto Fernandes

Controladoria Geral do Estado

Secretário executivo – Breno Wanderley

Procon

Secretária – Késsia Dantas

Agência de Regulação

Presidente – João Vicente machado

 Finanças

Secretário adjunto – Mário Sérgio

Secretaria de Planejamento

Secretário Executivo do Orçamento Democrático – Célio Alves

Secretaria de Desenvolvimento e Articulação Municipal

Secretária – Ana Cláudia Vital

Secretaria de Desenvolvimento Humano

Secretária – Gilvaneide Nunes da Silva

Secretária executiva – Francisca Denise

Secretária executiva de Segurança Alimentar  – Roseana Meira

Cultura

Secretário – Damião Ramos Cavalcanti

Secretário executivo: Milton Dornelas

Codata

Krol Jânio Palitot

Espepe

Presidente – Luciane Alves Coutinho

Funad

Presidente –  Simone Jordão Almeida

Lifesa

Presidente  – Carlos Alberto Dantas bezerra

Detran

Diretor – Agamenon  Vieira da Silva

Fundac

Presidente – Noaldo Belo de Meireles

Casa de José Américo

Presidente –  Viviane Coutinho

Funesc

Presidente  – Marinezia Gomes Tomé

Secretaria da Habitação

Secretária  – Emilia Correia Lima

Cagepa

Presidente – Marcos Vinicius Neves

Companhia Docas da Paraíba

Presidente   –  Gilmara Timoteio

AESA 

Presidente – Porfirio Loureiro

PBtur

Presidente –  Ruth Avelino

Junta Comercial 

Presidente – Simão de Almeida Neves

Iphaep

Presidente  –  Cassandra Figueiredo

Segurança  Pública e Defesa Social  

Secretário – Jean  Frâncico Bezerra Nunes

Secretário Executivo – Lamarck Vitor

Delegado geral – Isaias  Dantas  Glauberto

Delegada geral adjunta –  Cassandra Maria Duarte Guimarães

Comandante da Polícia Militar – Euller Chaves

Subcomandante da Polícia Militar – José de Almeida Rosas

Comandante do  Corpo de Bombeiros – Marcelo Augusto de Araújo

Subcomandante do Corpo de Bombeiros – Lucas Severiano de Lima

Administração

Secretária executiva – Jaqueline Gusmão

Imeq

Presidente – Artur Bonfim

Sudema

Secretário – Fábio Andrade

Juventude Esporte e Lazer

Secretário Executivo  – Zé Marcos

Secretária executiva – Priscila Gomes de Araújo

 Secretaria de Agricultura Familiar

Secretário  executivo  – Jonildo Cavalcanti

Secretaria da Mulher e Diversidade Humana

Secretária adjunta – Lídia Moura

Administração Penitenciária

Secretário executivo – João Paulo Barros

Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente

Secretário Executivo  de Energia e do PAC – Robson Barbosa

Com MaisPB