Em João Pessoa

Saúde: a receita do ministro para crise Bolsonaro x Maia

Em agenda na Paraíba, nesta segunda-feira (25), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, receitou o presidente Jair Bolsonaro para crise com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, em torno da reforma da Previdência.

“Diálogo. Para isso há parlamentares experientes, que trabalham há muito tempo no Congresso nacional mais o entorno do presidente, que é altamente qualificado, como a Casa Civil, certeza que isso é um processo pontual de acomodação”, disse o ministro, que já foi deputado federal e é filiado ao DEM (partido de Maia), em resposta ao autor do blog.

Problema: o paciente Jair Bolsonaro já disse que não está disposto a atender a esta orientação médica.

Congresso

Maia vem à Paraíba para se reunir com bancada federal

Conforme antecipou o blog no início da semana, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), estará em João Pessoa nesta segunda-feira (14) para um encontro com os deputados federais eleitos e reeleitos da Paraíba.

A missão é convencer os parlamentares que é o melhor nome para seguir presidindo a Casa. O apoio do PSL, do presidente Jair Bolsonaro, porém, desagradou o PP de Aguinaldo Ribeiro, além do PT de Frei Anastácio e o PSB de Gervásio Maia.

Congresso

Maia deve vir à Paraíba

Atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), intensificará a sua campanha de reeleição no Nordeste.

Um dos destinos a ser visitado tende ser a Paraíba entre esta e a próxima semana. É o que sinalizou ao Blog o deputado Efraim Filho (DEM-PB).

Em entrevista recente, o paraibano destacou que “Rodrigo não é o preferido pelo PSL nem pela oposição, mas é o único que é aceito por ambos”.

O cenário, porém, se modificou em parte na última semana quando Maia recebeu o apoio do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro e dono, a princípio, da segunda maior bancada na Câmara com 52 deputados.

O acordo desagradou o PP de Aguinaldo Ribeiro – que chegou a ser cogitado para disputa pelo presidente do partido, Ciro Nogueira -, dono da terceira maior bancada e ocupante da segunda vice-presidência da Casa, com o deputado André Fufuca-MA. Vaga que será do PSL, caso Maia prospere.

O apoio de Bolsonaro também comprometeu a relação com os partidos de esquerda – PT (56 deputados), PSB (32), PDT (28) e PC do B (9), além do MDB (34).

Deputados ficam ilhados na PB

O desembarque dos parlamentares paraibanos, em Brasília, nesta segunda-feira (28), a pedido do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), e do Senado, Eunício Oliveira (MDB), não será simples.

Falta combustível nos aeroportos do estado – Castro Pinto, em João Pessoa, e João Suassuna, em Campina Grande.

“Vamos ver como vai estar amanhã”, disse preocupado o deputado Efraim Filho (DEM).

“Vou voltar nem que seja de carro”, brincou o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB).

A assessoria do senador José Maranhão (MDB) desconhece o plano do emedebista para voltar à capital federal. Maranhão está em pré-campanha ao Governo da Paraíba.

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB) decidiu permanecer em Brasília desde sexta-feira (25).

“É fundamental que, neste momento, a Câmara dos Deputados esteja atenta e pronta para colaborar com soluções para os graves problemas enfrentados pelo país”, enviou Maia aos deputados.

Já Eunício quer votar o projeto que regula os preços de fretes rodoviários. A votação do projeto está incluída no acordo firmado entre o governo e caminhoneiros na quinta-feira (24).