Funcionários denunciam ‘surto’ de Covid-19 na Alpargatas

Por Maurílio Júnior

O Ministério Público do Trabalho na Paraíba abriu investigação contra a fábrica da Alpargatas, empresa que produz as sandálias Havaianas, em Campina Grande.

De acordo com funcionários da empresa, pelo menos 30 colegas de trabalho adoeceram recentemente e testaram positivo para covid-19 e dois deles estão internados em unidade hospitalar particular que tem convênio com a empresa.

Ao site UOL, o procurador do Trabalho, Marcos Antonio Ferreira Almeida informou que o MPT recebeu denúncias sobre o adoecimento de funcionários na Alpargatas e já notificou a fábrica para prestar esclarecimentos. Almeida afirmou que solicitou dados da vigilância epidemiológica de Campina Grande sobre os casos de covid-19.

Segundo a Alpargatas, cinco funcionários testaram positivo para o novo coronavírus, sendo um deles internado com estado de saúde estável.

A fábrica disse que “reduziu o número de colaboradores nas operações de produção e remodelou toda a estrutura das fábricas para atender às diretrizes do Ministério da Saúde e demais autoridades em relação à segurança e saúde dos colaboradores”.

A Alpargatas afirmou ainda que segue protocolos médicos e os funcionários que relatam sintomas “são examinados pela equipe médica local e são afastados, devendo permanecer em isolamento” e que todos os casos são monitorados.

No início do mês, o Portal MaisPB noticiou que o Ministério Público do Trabalho na Paraíba já havia registrado 578 denúncias de violações trabalhistas relacionadas à Covid-19 desde o início da pandemia, sendo o 7º Estado do país em denúncias.

Relatos

Em áudios enviados ao UOL, dois trabalhadores da Alpargatas que testaram positivo para o novo coronavírus dizem que adoeceram durante o trabalho. Eles estão internados em uma clínica particular, localizada no bairro do Prata.

“Confirmado já. Estou com esse negócio aí [novo coronavírus]. Está empestada (sic) a Alpargatas, está cheio. Estou internado aqui. Só saio daqui quando melhorar, em nome de Jesus, mas tem gente demais doente. Estou aqui no hospital, ontem o tanto de gente que chegou aqui com as fardas. O povo tudo doente. Está feio o negócio”, disse outro trabalhador. Eles terão as identidades preservadas.

“Tem um monte de gente lá. Eu vim com um menino que trabalha comigo, ele também estava sentido alguns sintomas, e a gente veio junto no táxi. Já veio mais gente de lá da Alpargatas. (…) Está tendo um surto lá dentro, mas é o jeito trabalhar lá. A gente não pode faltar, tem de ir de todo jeito”, relatou o trabalhador. (MaisPB)

Comentários:
error: Conteúdo Protegido!!